Muitos acreditam que o diabo não existe. Mas ele é real, embora não seja visível. Outros acham que ele existe, mas o imaginam como um ser feio, vermelho e chifrudo. No entanto, nas Sagradas Escrituras, ele é descrito como serpente e dragão. Isso indica que é sorrateiro, venenoso, ágil, forte, e possui grande poder de destruição (Apocalipse 20.2), sendo capaz, inclusive, de transfigurar-se em anjo de luz (2 Coríntios 11.14).

Em hebraico, o vocábulo Satanás significa adversário. Já o termo grego diabo vem do verbo diabolos, que significa o que tira de um lado e de outro, que desune, separa, semeia a discórdia. Esse ser espiritual é assim conhecido porque, em virtude de suas disposições hostis, promove todo tipo de impiedade, opondo-se a Deus e aos homens. É um astuto estrategista que veio matar, roubar e destruir (João 10.10a).

A maior parte dos teólogos concorda que, antes de tornar-se Satanás, o adversário era Lúcifer (portador de luz), um anjo perfeito e bom; o aferidor da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura (Ezequiel 28.12); o querubim ungido para proteger, estabelecido no monte santo de Deus, no meio das pedras afogueadas. Ele era perfeito nos (seus) caminhos, desde o dia em que (foi) criado, até que se achou iniquidade nele (v. 14,15). Ao rebelar-se contra Deus, Lúcifer foi expulso do céu. Na queda, arrastou consigo um terço dos anjos. Tudo isso aconteceu antes que o homem existisse.

Sendo assim, Satanás não é apenas um princípio ou uma força do mal ou do caos que atua no universo com a permissão/delimitação de Deus, visando aos Seus eternos propósitos, como pensam alguns; Satanás é um ser espiritual (1 Pedro 5.8; Apocalipse 13.1-3), que não dorme, não se alimenta nem se cansa. Ele odeia tudo quanto Deus criou e trabalha 24 horas para destruir e levar a cabo seus malignos intentos.

A Bíblia usa vários adjetivos e cognomes para descrever Satanás: inimigo, adversário, diabo, tentador, acusador, destruidor, assolador, maligno, pai da mentira, serpente, dragão. Todos estes apontam para o caráter perverso dele. O diabo é um expert em mentir, iludir, enganar. É por meio da mentira que se estabelece, e sua finalidade é destruir e matar (João 10.10a).

Satanás não é onipresente (só Deus é). Não podendo estar em todos os lugares ao mesmo tempo e saber tudo o que se passa, tem milhares de demônios que obedecem às ordens dele, vigiando, oprimindo e destruindo o homem. Eles estão ao nosso derredor, buscando a quem o diabo possa tragar; por isso, devemos ter muita cautela, para não facilitar a ação deles.

O diabo não é onipotente (só o Criador é), mas dentro dos limites permitidos por Deus tem certo poder na terra, e usa-o para levar o homem a pecar e para assenhorear-se dele, afrontando o Criador e tentando frustrar Seu plano de salvação da humanidade.

Satanás também não é onisciente (só o Senhor o é), mas consegue sugerir pensamentos maus à nossa mente e tentar-nos. É por isso que, em momento algum, devemos esquecer que estamos constantemente em uma guerra espiritual nem desobedecer à Palavra de Deus, para não ficarmos vulneráveis ao inimigo.